Prudentino fala sobre os desafios e a paixão de ser DJ em Prudente

1742


O prudentino Juan Jorge Da Silva Souza, também conhecido como DJ Juan Jorge, há mais de 12 anos está nas pistas das grandes festas prudentinas. Formando em Publicidade e Propaganda e especialista em Disk-Jockey, Juan conversou com o Diário de Prudente sobre como é ser DJ em Presidente Prudente.

Hoje com 33 anos, Juan é bem conhecido na cidade e tem um grande repertório, com vários estilos, ele conta que durante a pandemia foi a época mais complicada para a profissão, já que as festas ficaram um bom tempo suspensas.

Mas hoje, após a pandemia, as festas, bailes de formatura e aniversários estão sendo retomados, e a economia está voltando a girar, o que tem melhorado a área disse Juan.

DIÁRIO DE PRUDENTE – Como e onde surgiu sua paixão por ser DJ?
DJ JUAN – Eu cresci em uma família que trabalhava com eventos. Meu pai, Jorge Flash, é um fotógrafo profissional renomado há mais de 30 anos. Ele tinha muita demanda e credibilidade no mercado de eventos e sempre indicava outros profissionais para os seus clientes. Foi assim que eu me interessei pela profissão de DJ, pois eu poderia oferecer um pacote completo junto com o trabalho do meu pai e da minha mãe, Fátima, que é cerimonialista.

Apoio:


DIÁRIO-  DJ precisa estar sempre atualizado nas músicas e ritmos que fazem sucesso, como você se prepara para suas apresentações?
DJ JUAN – Eu tenho um estilo eclético, pois escuto todos os tipos de música. Mas eu também tenho um repertório definido para cada tipo de evento, que eu adapto de acordo com a preferência do cliente. Eu sempre faço uma reunião com ele antes da festa para conhecer o seu gosto musical e montar uma playlist personalizada. As apresentações fluem conforme a animação da festa, pois assim eu consigo interagir melhor com o público!

DIÁRIO – Há quanto tempo você se dedica à profissão de DJ?
DJ JUAN – Mexo com músicas já tem muito tempo, mas sou DJ profissional há 12 anos e amo muito o que eu faço.

DIÁRIO – Ser DJ em Prudente é um bom negócio, vale a pena se dedicar exclusivamente a isso?
DJ JUAN – Eu considero que sim, mas depende muito da demanda e da época. Com a pandemia, os eventos diminuíram bastante, mas antes eu tinha uma boa renda com a profissão. O investimento inicial é alto, pois os equipamentos são caros, mas depois compensa. A maioria dos meus clientes são indicações de pessoas que já viram meu trabalho, além de amigos e familiares que também fazem essas indicações.

DIÁRIO – Qual é o maior desafio que você enfrenta na sua profissão?
DJ JUAN – Eu acho que o maior desafio é manter os equipamentos atualizados, pois a tecnologia avança muito rápido e eu preciso acompanhar as novidades do mercado e isso requer estudo e pesquisa sobre as novidades.

DIÁRIO – Quais são os seus estilos musicais preferidos como DJ?
DJ JUAN – Eu gosto de tocar de acordo com o que o cliente pede, pois assim eu consigo agradar o público e fazer uma festa animada. Mas eu tenho uma preferência pessoal por música eletrônica, pois é o estilo que eu mais me identifico.

DIÁRIO – Você se lembra de alguma festa que teve algum acontecimento curioso ou divertido?
DJ JUAN – Eu me lembro de várias festas que foram muito animadas e divertidas, pois o público estava no mesmo ritmo que eu e eu me sentia parte da festa. Isso é o que eu mais gosto na minha profissão, de poder interagir com as pessoas e fazer elas se divertirem.

O DJ Juan Jorge pode ser contactado através de sua página no Facebook @DJ Juan Jorge ou pelo whats app (18) 99773-8609

COMENTÁRIOS