Arquiteto e egresso da Toledo propõe solução definitiva para alagamentos no Parque do Povo

Egresso do Centro Universitário, Marcos José Martins da Costa sugere a implantação de galerias de retenções em pontos estratégicos.

1040

Não é de hoje que a região do Parque do Povo de Presidente Prudente sofre com os alagamentos, geralmente, no período de chuva intensa, como por exemplo, no verão. As inundações causam danos para aos moradores e aos empresários que empreendem na região, além de oferecer risco à saúde da população.

A fim de encontrar uma solução para este cenário, na manhã desta terça-feira (10), o arquiteto e urbanista, egresso da Toledo Prudente, Marcos José Martins da Costa, propôs soluções para os problemas das enchentes, à Associação Amigos do Parque do Povo. Tais medidas constam em seu Trabalho de Conclusão de Curso.

O Trabalho intitulado “Projeto de Reestruturação do Sistema de Drenagem do Parque do Povo de Presidente Prudente”, sugere a implantação de galerias de retenções em pontos estratégicos. Marcos ressalta a importância das galerias para reter o excesso de água escoada pela canalização e retomar a eficiência do sistema de drenagem do Parque.

Apoio:


O professor e orientador do estudo na época, professor Luciano Osako, diz que o local tem grande riscos de alagamentos.

“O Córrego do Veado, que atravessa toda a extensão do Parque do Povo, recebe muita contribuição do volume de água, por outros córregos urbanos e por ser o ponto mais baixo desta bacia. Além disso, a alta urbanização do entorno reduz a infiltração da água no solo e a própria canalização do córrego que não foi planejada de forma correta”, explica.

Costa afirma que o estudo se iniciou através de um aprofundamento nos aspectos conceituais, sistemas de drenagem urbana e um levantamento histórico do Parque do Povo.

“Realizei diversas análises como o levantamento da bacia hidrográfica do Córrego do Veado, principais córregos ligados à bacia, levantamento topográfico e identificação dos principais pontos de concentração de água para a implantação das galerias de retenção”, completa.

Por fim, o professor destaca a importância do trabalho, por trazer reflexões sobre o problema da drenagem urbana no Parque do Povo e diz que o projeto aponta uma solução técnica para um problema crônico que a cidade enfrenta.

Associação Amigos do Parque do Povo

No encontro, estiveram presentes a reitora da Toledo Prudente, Zelly Machado, a coordenadora dos cursos de Engenharia e Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário, Júlia Guimarães, os diretores da Associação, Rubens Afonso, Ricardo Codonho, Antônio João Batista e Ricardo Trigo, além do Presidente da entidade, Belmiro D’Arci.

A missão da Associação Amigos do Parque do Povo é desenvolver as instalações do Parque do Povo para que os visitantes encontrem o máximo de satisfação, conforto, beleza e segurança, além de promover a realização de eventos nas áreas da educação, cultura, esporte, meio ambiente e turismo.

A entidade também busca promover projetos de conscientização, além de fomentar ações de educação ambiental, como aumentar a quantidade de reciclagem e coleta seletiva da cidade.

COMENTÁRIOS