Balcão de empregos tem 249 vagas disponíveis; currículos devem ser enviados por e-mail

112

Após dois meses de números baixos, a região de Presidente Prudente volta a registrar alta na taxa de transmissão da covid-19, com pico previsto para os próximos dias. O alerta é dado pela projeção feita pelo Infotracker, plataforma desenvolvida pela USP e Unesp para o monitoramento da pandemia em todo o Estado de São Paulo.

Nesta segunda-feira (10) a taxa de retransmissão (Rt) da doença atingiu 1,06, o que mostra provável aumento no número de infectados. Porém, o cenário deve piorar nos próximos dias, quando o índice deve bater 1,34 no dia 16 deste mês. Números parecidos foram vistos em junho do ano passado, quando a região sofreu a segunda onda de infecções.

O índice de contágio (RT) é importante para apontar quantas pessoas serão contaminadas por um infectado, além de auxiliar na projeção da velocidade de transmissão da doença. O número deve ficar abaixo de 1 por mais de 15 dias para que seja visualizada queda de novos casos.

Ele vinha em queda desde o fim de outubro do ano passado, quando marcou 0,99. Ao longo dos últimos dois meses, este número ficou abaixo de 1, chegando até a 0,59 em 16 de novembro. Contudo, voltou a apresentar tendência de alta nos últimos dias até ultrapassar a faixa de segurança, segundo levantamento realizado pelo Portal.

Na prática, o aumento da taxa refletirá diretamente no crescimento de casos de infectados pelo coronavírus na região. Até o momento, não há demonstração de disparada em internações e de mortes.

Alerta total

Segundo as projeções, a região seguirá com tendência de alta até o dia 16, quando baterá 1,34. Isso significa que 100 pessoas transmitem o vírus para outras 134.

Em relação a casos ativos, a plataforma mostra um pulo dos 1.094atuais para 3.022 em apenas seis dias.

:::.............. COMENTÁRIOS ..............:::