Proprietários de academias criam associação e reúnem-se com Prefeito Bugalho

78
Prefeitura de Presidente Prudente.

Em decorrência da atual situação de pandemia, os proprietários de academias de Presidente Prudente, que amargam sérios prejuízos devido ao fechamento dos estabelecimentos, estiveram na manhã da quarta-feira (08) na rampa da prefeitura para manifestarem sobre a situação do setor.

Durante a manifestação, foi criada a Associação das Academias do Oeste Paulista, com diretoria provisória, até que se faça a eleição e posse legal.

Nesta quinta-feira, os membros da associação já se reuniram com o poder executivo para a dissolução do impasse.

O prefeito Nelson Bugalho recebeu pela manhã, no Gabinete do Paço Municipal “Florivaldo Leal”, o Senhor Nelson Morimoto, presidente da recém-formada associação, além de demais integrantes da entidade e proprietários de academias.

O encontro tratou sobre a possível abertura dos espaços voltados à atividade física quando a região avançar de fase no Plano São Paulo, cuja classificação, assim como as regras, é determinada pelo Governo Estadual, cabendo aos gestores municipais apenas adotar medidas mais restritivas e não permissivas.

Conforme o presidente da associação, a reunião foi produtiva e, além de o prefeito se mostrar disposto a ajudar a Associação das Academias no que for possível, ele deixou um canal aberto de comunicação entre o órgão e o Governo Municipal. “Há uma expectativa de que a região saia da fase vermelha e a intenção, através de diálogo com o Governo do Estado, é conseguir a inclusão da atividade física como essencial para que consigamos a liberação das academias”, pontuou.

O presidente da Associação disse ainda que a proposta de incluir a atividade física como essencial é embasada em estudos que comprovam que a prática da mesma contribui em melhoras à saúde e, consequentemente, na qualidade de vida. “Há também o lado financeiro, porque as academias precisam sobreviver. Estamos tentando equalizar tudo isso para que possamos voltar com as atividades físicas, isso dentro da lei e das regras municipais e estudais”, acrescentou.

Diante da expectativa de uma possível mudança de fase, o prefeito salientou que o Governo Estadual segue alterando algumas regras para cada uma das fases e, assim como os proprietários de academias, espera que a atividade física seja incluída como essencial e que permitiria o funcionamento das academias.

“Caso mudemos de fase, seja ela qual for, temos que adotar medidas com responsabilidade e não como aconteceu anteriormente, quando Prudente esteve na fase amarela, que as pessoas lotaram o calçadão. Reuniremos as associações responsáveis para que sejam mais exigentes com os consumidores e clientes para garantirmos uma situação mais controlada, até mesmo para que não haja reflexo negativo nos hospitais”, relatou o prefeito.

O chefe do executivo disse ainda que a ideia de adotar medidas mais rígidas é para que a região continue avançando no Plano São Paulo e atinja a fase amarela, tida como “flexibilização”. “Caso isso aconteça, as academias podem atuar de forma mais segura, conforme antecipação do Governo do Estado. Garantimos que tudo que lei permitir que seja feito, a Prefeitura fará”, disse.

Existe a expectativa de que tão logo a flexibilização avance para a fase amarela, as academias poderão voltar a funcionar gradativamente e respeitando as formas da lei. A princípio cogitou para a abertura por seis horas sendo uma pela manhã, duas no meio do dia e três após as 16 horas. Mas somente, no caso do avanço para a fase amarela.
A reunião contou ainda com a presença do chefe de Gabinete, Francisco Batista Leopoldo Júnior, do titular da Semepp (Secretaria Municipal de Esportes de Prudente) e com o medido esportista da pasta, Claudinei Quirino e Breno Casari, respectivamente.

:::.............. COMENTÁRIOS ..............:::